“Carlos Eduardo é rico, vive de rendas e tem dificuldade de compreender o que é uma carteira assinada”, declara Marinho

O ex-ministro do Desenvolvimento Regional e pré-candidato a senador Rogério Marinho (PL) atacou nesta segunda-feira (9) seu provável adversário na disputa nas próximas eleições, o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT). Ao rebater críticas que vem recebendo de Carlos Eduardo por ter sido relator da reforma trabalhista no Congresso, Rogério Marinho voltou a dizer que o ex-prefeito de Natal é a pessoa “menos qualificada para falar a respeito do assunto”, porque “não trabalha”.

“Ele é a pessoa menos qualificada para falar a respeito do assunto, pois faz quatro anos que ele não trabalha. Depois que ele deixou a Prefeitura, ele vive de rendas. Alguém que é rico o suficiente para viver de rendas tem dificuldade de compreender o que é o mundo de trabalho, o que é uma carteira assinada. Dificuldade de quem tem que acordar todos os dias pela manhã e ganhar o pão de cada dia para sustentar suas respectivas famílias”, afirmou o ex-ministro, em entrevista à rádio Jovem Pan News Natal. Em 2018, quando foi candidato ao governo do Estado, Carlos Eduardo declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 3,5 milhões em bens, entre aplicações financeiras, imóveis e participações em empresas. Já Rogério Marinho declarou ter R$ 983 mil em bens, entre imóveis e aplicações financeiras.

A declaração de Rogério Marinho foi uma reação a críticas de Carlos Eduardo. Em entrevistas recentes, o ex-prefeito de Natal tem tachado o ex-ministro de “carrasco da classe trabalhadora brasileira”.

“Cinco anos atrás, foi proclamada como uma reforma que ia diminuir radicalmente o desemprego e ia aumentar a renda do trabalhador. Cinco anos depois, a reforma trabalhista aumentou o desemprego e diminuiu radicalmente a renda do trabalhador”, declarou Carlos Eduardo, durante participação no programa “Conversa de Botequim”, pelas redes sociais.

O ex-prefeito de Natal citou, ainda, o que avalia ser “perversidades” da reforma trabalhista, como o sufocamento dos sindicatos e a possibilidade de mulheres grávidas trabalharem em ambientes insalubres.

“(Rogério Marinho) é um carrasco da classe trabalhadora brasileira. Esses trabalhadores esperam que nós potiguares, derrotemos, esse algoz do povo brasileiro”, enfatizou Carlos Eduardo.

98 FM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.