Midway Mall anuncia data que irá começar a cobrar estacionamento; confira

O estacionamento do Shopping Midway Mall já tem data marcada para o início da cobrança do seu estacionamento. O shopping anunciou em uma de suas redes sociais nesta sexta-feira, que a partir da próxima segunda-feira (30) será realizada a cobrança pelo uso do espaço.

A informação da cobrança pela utilização do estacionamento foi anunciada pelo próprio shopping no começo deste mês, após 18 anos com a isenção da taxa pela utilização do local.

O Midway já havia começado a realizar a instalação das máquinas para ambientar os clientes quanto a utilização dos equipamentos, somente para validar os cartões. A partir do dia 30 (segunda-feira), os clientes já devem se dirigir aos pontos de validação para efetuar o pagamento da tarifa.

Os valores também foram divulgados no início do mês, sendo para carros R$ 10 por até 4 horas (R$ 2,00 por hora adicional), e para motocicletas sendo R$ 6,00 (R$ 1,00 por hora adicional). Em até 20 minutos será gratuito para ambos.

Grande Ponto

Aliado de Bolsonaro abre mão da vice-presidência da Câmara para ajudar a eleger Marinho no Senado

O PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, abriu mão de indicar um nome à vice-presidência da Câmara. A cadeira cabia à legenda, que tem a maior bancada da Casa. Em troca do apoio da sigla à eleição de Rogério Marinho (PL-RN) à presidência do Senado, cedeu o espaço ao Republicanos. O acordo foi costurado pelos presidentes do PL, Valdemar da Costa Neto, e do Republicanos, o deputado Marcos Pereira, que ficará com a vice-presidência da Câmara.

“Como as chances de eleição do Marinho passaram a ser reais. Podemos ficar com a segunda vice-presidência. Abrimos mão de tudo que for necessário para o Marinho ganhar o Senado”, disse o deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ) ao GLOBO.

O parlamentar é da ala “bolsonarista raiz” da legenda e foi presidente da bancada evangélica em 2022. Inicialmente ele era o indicado para ser primeiro vice da Câmara, mas aceitou o acordo feito pelo PL com Republicanos e PP.

A decisão deve ser anunciada na próxima segunda-feira, 30, após reunião comandada por Valdemar e pelo líder do PL na Câmara, Altineu Cortes (RJ). Para ajudar na negociação foi avaliada uma troca na liderança do PL na Casa. Altineu deixaria o cargo e Sóstenes seria o escolhido. No entanto, o deputado da bancada evangélica deve ficar com o cargo de segundo vice-presidente da Casa e Altineu líder por mais um ano.

O acordo para colocar o presidente do Republicanos na vice aconteceu na última quarta-feira, (25), quando o presidente do PL se reuniu com Pereira e a senadora eleita Tereza Cristina (PP-MS) para fortalecer o bloco de Marinho. O senador do PL conseguiu um impulso na reta final da disputa contra o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Juntando os três partidos que o apoiaram formalmente, Marinho tem um bloco de 23 de senadores. Além disso, ele mira apoios de parte do União Brasil e MDB, que devem apoiar Pacheco formalmente.

Com informações do O Globo

Bastidores da Política: Mudança na Secretaria de Saúde de São Paulo do Potengi

Há um certo tempo que venho noticiando que na Secretaria Municipal de Saúde de nossa cidade, deveremos ter mudanças no comando da pasta. Pelo o que nos parece, deveremos sim ter. Uma fonte do mais alto escalão e de grande credibilidade do Blog, nos confirmou que procede a informação checada, a atual Secretária Kátia Marques pediu exoneração.

Sua exoneração poderá sair a qualquer momento no Diário Oficial do Município através do site da FEMURN. Cogitasse que quem assumirá a pasta será a Sub-secretária, Lavynnia Lais.

Vamos aguardar os fatos…

Deputado Neilton será o líder do bloco PL e MDB

O deputado Neilton foi eleito líder do bloco formado pelo PL e MDB, que tem ainda como integrantes os deputados Teresinha Maia, Coronel Azevedo e Adjuto Dias. O parlamentar, que estreará na Assembleia Legislativa, já chega com destaque na Casa.

“É um novo desafio. Sinto-me honrado com a escolha dos colegas deputados e vamos nos manter firmes no trabalho em prol do nosso povo. Este vai ser um bloco que terá a marca de muitas ações com projetos importantes e voltados ao desenvolvimento do Rio Grande do Norte. Não temos vínculo com situações, somos independentes para votar sempre em favor da nossa gente”, disse o deputado.

Como líder, será de Neilton a responsabilidade de integrar o colégio de líderes e assim decidir, junto com os demais, sobre matérias em regime de urgência, por exemplo.

Partidos formam bloco de oposição e apoiam Rogério

Rogério Marinho: bloco com 23 senadores é um forte reforço

“Mais um forte reforço”, reagiu o senador eleito Rogério Marinho (PL) com o anúncio de que o Partido Liberal, Progressistas (PP) Republicanos formaram um bloco de oposição ao governo federal no Senado da República, além de juntos somarem 23 votos para a sua eleição de presidente da Casa em 1º de fevereiro, data do início da nova legislatura no Congresso Nacional.

O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, informou, já na quarta-feira (25), que acertou com o presidente nacional dos Republicanos, deputado federal Marcos Pereira (SP) e com a futura senadora e líder do PP, Tereza Cristina e com o senador eleito do Rio Grande do Norte, Rogério Marinho formalização de um bloco de apoio ao candidato do PL à presidência do Senado.

A composição do bloco partidário será oficializada no encontro com os presidentes da Executiva Nacional do PP e Republicanos, o senador Ciro Nogueira (PI) e Marcos Pereira (SP), respectivamente, previsto para as 11 horas de amanhã, na sede do PL, no no Centro Empresarial Brasil 21, Bloco A, sala 903, em Brasília.

O senador Rogério Marinho também participará, na segunda-feira (30), de o jantar que Costa Neto, promoverá para dar boas-vindas aos novos parlamentares das bancadas federais eleitas do PL no Senado Federal e na Câmara dos Deputados, e para tratar de assuntos de interesse do Partido para o próximo período legislativo.

O encontro acontecerá no Dom Francisco Restaurante, localizado no ASBAC, no Setor de Clubes Sul, em Brasília, às 20:00h.

A aliança aumenta a musculatura de Marinho, que disputa o comando da Casa contra o atual presidente, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que até o momento conta com o apoio de sete partidos: PSD, PT, Rede, Cidadania, PSB, Pros e PDT.

O PL conta com 14 senadores, o PP com seis e Republicanos, três e de acordo com nota enviada pelo PL à imprensa, o bloco “dá musculatura política a Rogério Marinho que deseja resgatar a independência e o protagonismo do Senado Federal, se eleito”.

Nos cálculos do PL, hoje Pacheco contaria com 34 votos e Marinho, 31. Para se eleger, o candidato precisa de 41 votos.

Rogério Marinho também tem obtido apoios de fora do seu bloco partidário, como é o caso da senadora Ivete da Silveira (MDB-SC), a quem agradeceu nas redes sociais: “Vamos restabelecer a estatura e independência do Senado, pelo bem do Brasil. Parabéns pela coragem. Tenho certeza que sua atuação honra o estado e também a memória do saudoso Luiz Henrique da Silveira”.

A eleição

A Agência Senado informa que os trabalhos na Casa recomeçam na quarta-feira (1º) com a realização de reuniões preparatórias para a posse dos senadores eleitos em outubro de 2022 e a eleição do presidente e dos demais cargos da Mesa.

Às 15h, há a primeira reunião preparatória, em que os senadores a serem empossados prestam o compromisso regimental, sem discurso dos presentes.

— Normalmente, quem preside a Mesa dos trabalhos é um membro da Mesa atual que siga em seu mandato. A intenção é fazer a votação 100% presencial, não subsistem os pressupostos para votação remota. A própria atividade legislativa é por excelência presencial — afirmou o secretário-geral da Mesa do Senado, Gustavo Saboia.

Depois da posse, por volta de 16h, começa a segunda reunião preparatória destinada à eleição do presidente do Senado. O mandato do presidente, que também responde pela Presidência do Congresso Nacional, é de dois anos.

Os candidatos ao comando do Senado tem direito à palavra para defender suas ideias. Logo após é realizada a votação secreta, com uso de cédula a ser depositada em urna.

Os senadores são chamados a votar de acordo com a ordem de criação dos estados, assim como ocorre na posse dos parlamentares. Até o momento, a Mesa ainda não recebeu o registro de candidaturas para presidente do Senado.

Concluída a votação, é iniciada a terceira reunião preparatória, para a eleição dos demais cargos da Mesa — primeiro e segundo-vice-presidentes e quatro secretários, com respectivos suplentes.

Quórum

Em relação ao quórum para a eleição do presidente, existe a orientação — embora não expressa no Regimento Interno da Casa — de ser eleito quem recebe a maioria absoluta dos votos (41 senadores), explica Saboia. Se nenhum candidato obtém esse apoio, o que nunca ocorreu até hoje, os dois mais votados vão para um segundo turno de votação.

— Em termos práticos, todos os presidentes do Senado tiveram mais de 41 votos na primeira votação. Há essa percepção compartilhada pala maioria dos senadores de que, até para se ter a legitimidade do Senado, o presidente tem que ter mais de 41 votos — explicou à Agência Senado.

Tribuna do Norte

Governadores do Nordeste criam Fórum Permanente para acelerar obras da transposição do São Francisco

Governadora Fátima ressalta que a integração das bacias do Rio São Francisco é pauta prioritária para a região Nordeste

“O debate sobre a segurança hídrica se faz necessário, e é uma das pautas prioritárias dos governadores do Nordeste, do Consórcio Nordeste, inclusive a ser levada ao presidente Lula”, declarou a governadora Fátima Bezerra, na tarde desta quinta-feira (26), durante reunião dos governadores do Nordeste com o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Goés, em Brasília (DF). A partir desta reunião ficou estabelecida a criação de um Grupo de Trabalho técnico com os secretários dos estados nordestinos, chamado de Fórum Permanente, para que se possa concluir o segundo ciclo do projeto da transposição das águas.

“O projeto grandioso da integração das bacias do Rio São Francisco tem um caráter humanitário, do ponto de vista social, porque significa garantir água para o abastecimento humano, e ao mesmo tempo tem um perfil de promoção do desenvolvimento econômico, com áreas de irrigação e outros empreendimentos”, afirma Fátima Bezerra, esclarecendo que as áreas técnicas e os secretários estaduais “têm propostas a fazer no que diz respeito ao uso da água”.

A reunião contou com a presença de governadores de estados do Nordeste e seus secretários – Rio Grande do Norte, Pernambuco, Ceará e Paraíba, e debateu a sustentabilidade da transposição do Rio São Francisco. O primeiro encontro do Fórum Permanente será já na próxima semana, com a participação dos técnicos e secretários de recursos hídricos dos quatro estados.

“Ainda nesses primeiros 100 dias de governo, queremos estabelecer um acordo com os estados que vá garantir sustentabilidade, que determine quais as obras prioritárias que precisam ser concluídas, tanto em 2023 quanto em 2024. E esse acordo vai abordar tanto o uso da água quanto da energia para viabilizar a distribuição dessa água”, esclareceu o ministro Waldez Góes.

Em sua fala, a governadora fez questão de colocar que a implantação das obras complementares ao Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias do Nordeste Setentrional (PISF) beneficia os quatro estados: “Por exemplo, nós temos uma obra chamada Ramal do Apodi, que vai beneficiar não apenas os municípios do Rio Grande do Norte, mas igualmente os da Paraíba e do Ceará”.

Segundo o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte, Paulo Varela, “o Grupo de Trabalho irá retomar o pré-acordo assinado em 2021, que com o passar desse tempo as condições mudaram e será feita essa análise com os técnicos e o ministério para a retomada efetiva das obras complementares, a retomada com mais vigor do PISF”.

Essa reunião dá continuidade à que ocorreu no dia anterior entre a governadora Fátima e o ministro Góes que tratou da conclusão da Barragem de Oiticica, a continuidade do Projeto Seridó, a construção da Adutora do Agreste, que está a cargo da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), além da implantação das próprias obras complementares ao Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF).

Integração das águas do Rio São Francisco

O Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias do Nordeste Setentrional – PISF vai garantir a segurança hídrica a mais de 12 milhões de habitantes, em 390 municípios, nos estados do Rio Grande do Norte, Pernambuco, Ceará e Paraíba, além gerar emprego e promover a inclusão social. A extensão será de 477 km.

O Projeto integrará a bacia do São Francisco com as bacias dos rios Jaguaribe, Piranhas Açu e Apodi (CE/RN/PB/PE) por meio da implantação de canais, drenagem, estações de bombeamento e adução.

O Ramal do Apodi vai levar as águas do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco a 54 municípios – Rio Grande do Norte (32), Paraíba (13) e Ceará (9), beneficiando 750 mil pessoas.

Além dos já citados, acompanharam a governadora a secretária de estado Virgínia Ferreira (SEGRI); o secretário adjunto da SEMARH, Carlos Nobre; a secretária especial de governo, Guia Dantas (GAC); e Danúbia Régia (chefe do Escritório de Representação no Distrito Federal).

Sem Bolsonaro, Michelle chega a Brasília após viagem aos EUA

Foto: Matheus Veloso/Metrópoles

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro desembarcou no Aeroporto de Brasília na noite de quinta-feira (26.jan.2023), depois de viagem com a família para os Estados Unidos. O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) não estava com a mulher.

Imagens de Michelle usando um boné azul, blusa de moletom de cor clara e máscara facial foram captadas.

Em 30 de dezembro, a então primeira-dama viajou com o marido e a filha Laura, de 12 anos, para os EUA. Desde então, a família estava hospedada em uma casa de férias do ex-lutador de MMA José Aldo, na cidade de Kissimmee, a cerca de 35 quilômetros de Orlando.

A filha de Bolsonaro já retornou ao Brasil por causa do período escolar. Não se sabe, porém, quando Bolsonaro voltará ao país.

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) está no país norte-americano com o pai.

Depois de um episódio de obstrução intestinal, o ex-presidente disse que anteciparia retorno ao Brasil para se consultar com os médicos que o acompanham. Ele chegou a ficar 1 dia internado em hospital dos EUA.

Ainda não foi informado onde a família do ex-presidente vai morar.

Poder360

Pesquisadores do LAIS/UFRN negam uso irregular de dinheiro público

Foto: Adriano Abreu

Os coordenadores do projeto “Sífilis Não”, do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN), se pronunciaram sobre a “Operação Faraó” que mirou na entidade para investigar um possível prejuízo de mais de R$ 26 milhões em contratos com recursos da União. Do LAIS, pesquisadores negam, através de nota pública, que tenham usado recursos destinados ao projeto para pagar viagens e hospedagens, como foi apontado nas investigações.

A acusação contra os pesquisadores é referente ao uso do cartão corporativo. Segundo o Ministério Público Federal (MPF) os pesquisadores do LAIS, Ricardo Valentim, Karilany Coutinho, João Henrique e Pedro Evangelista teriam gasto indevidamente a quantia de R$ 61.569,79 em viagens e refeições que não tinham relação com o projeto.

“Os cartões mencionados foram utilizados por um tempo determinado, para custear atividades relacionadas às cooperações interinstitucionais. Diante disso, ressaltamos que em nenhum momento os pesquisadores foram convocados para prestar quaisquer esclarecimentos quanto aos fatos apurados e possuem convicção de que, após tal oportunização, esclarecerão todos os pontos trazidos na investigação, ensejando o seu pronto arquivamento”, diz a nota do LAIS.

Num caso específico, foram citados uma babá e o filho de Ricardo Valentim, coordenador desse projeto, cujas estadias também teriam ficado por conta dos recursos do projeto. Segundo o Laboratório divulgou em sua carta aberta, “a afirmação não é real. Nas duas ocasiões em que as pessoas citadas viajaram (para São Paulo e Mossoró), as despesas de passagens, hospedagem e alimentação foram integralmente pagas com recursos próprios do coordenador”.

Ainda segundo a nota, os documentos comprobatórios do pagamento, estão na posse dos advogados e serão entregues às autoridades competentes no momento devido.

Tribuna do Norte

Potiguar Marília é a primeira eliminada do BBB 23 com 52,70% dos votos

Foto: Reprodução/TV Globo

Marília foi a primeira eliminada do BBB 23 em um paredão contra Fred Nicácio após serem escolhidos pelo público para o Quarto Secreto. A maquiadora potiguar teve 52,70% dos votos e o médico, 47,30%.

Ao todo foram computados 32.691.714 votos no Gshow. Durante a exibição do programa ao vivo, o Paredão alcançou mais de 230 mil votos por minuto.

“Você tem sangue de Maria Bonita. Que, antes de ser bonita, foi Maria! Antes de ser bonita igual você, foi Maria, uma mulher como qualquer outra, digna de todo amor e respeito e possibilidade de respeito que o mundo possa ar. Seu caminho é lindo e você é amada!”, disse Tadeu Schmidt, ao anunciar a eliminada.

No estúdio, Tadeu questionou o que aconteceu com Marília na casa e a maquiadora respondeu:

“Eram os olhares e a maneira que eu vi a não aceitação das pessoas me fizeram me fechar mais”, afirmou Marília.

Marília é potiguar

A maquiadora Marília, de 32 anos, é natalense. Atualmente ela mora em São Paulo, onde também atua como empreendedora e influenciadora digital, dando dicas de maquiagem através das redes sociais.

Além de mostrar seu trabalho, a potiguar também registra nas redes sociais momentos de lazer em várias praias do litoral do Rio Grande do Norte.

Com informações de Splash – UOL

Lula recebe governadores hoje e será pressionado a recompor cofres dos estados

Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), vai conversar nesta sexta-feira (27) com governadores dos 26 estados e do Distrito Federal, que vão cobrar do chefe do Executivo federal alguma medida para compensar as unidades da Federação que tiveram prejuízo com a arrecadação de ICMS sobre combustíveis.

No ano passado, o Congresso Nacional aprovou e o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou um projeto de lei que fixou um teto de 18% para a cobrança do imposto sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações, gás natural e transporte coletivo. Um dos pontos da proposta previa que estados e municípios fossem compensados mês a mês pela União caso a queda na arrecadação do ICMS fosse superior a 5% em relação a 2021.

A forma de indenização, contudo, não saiu do papel. O Supremo Tribunal Federal (STF) foi acionado para mediar uma proposta de conciliação entre governo federal as unidades da Federação, e até criou uma comissão especial com representantes da União e dos entes federativos, mas o grupo terminou os trabalhos sem firmar um acordo sobre como será feita a compensação.

Nessa quinta-feira (26), representantes dos 26 governos estaduais do país e do DF estiveram em Brasília para participar do Fórum Nacional de Governadores, e a maioria concordou que já está na hora de o Executivo federal apresentar uma proposta de ressarcimento.

“Temos um ponto comum que é o restabelecimento das contas dos estados. Vamos levar a questão da recomposição fiscal e na sequência falamos dos projetos prioritários”, afirmou o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos).

R7