Além de viagra, Exército aprovou a aquisição de 60 próteses penianas

Próteses penianas /Foto: Clínica Mattos/Divulgação

Após sucessivos escândalos de compras de alimentos de luxo e medicamentos, mais uma licitação do Ministério da Defesa levanta questionamentos: foram aprovados quase R$ 3,5 milhões para aquisição de 60 próteses penianas para unidades ligadas ao Exército. A denúncia foi feita pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO).

“O questionamento que fazemos é: por que o governo Bolsonaro está gastando dinheiro público para pagar essas próteses? O povo brasileiro sofre para conseguir medicamentos nas unidades de saúde e um grupo é atendido com próteses caríssimas, de R$ 50 mil a R$ 60 mil a unidade”, ressalta.

Juntamente com Vaz, o senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) levará o caso ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério Público Federal.

Os dados do Portal da Transparência e do Painel de Preços do governo federal mostram três pregões para aquisição de próteses penianas infláveis de silicone, com comprimento entre 10 e 25 centímetros. Todos foram homologados em 2021.

O pregão 00036/2020 prevê a compra de 10 próteses, custando R$ 50.149.72 cada, para o Hospital Militar de Área de São Paulo. Outro pregão, 00010/2021, é para a aquisição de 20 unidades ao custo de R$ 57.647,65 a unidade. As próteses são destinadas ao Hospital Militar de Área de Campo Grande. E o terceiro, 00051/2021, permite a compra de mais 30 próteses, com preço de R$ 60.716,57 cada, para o Hospital Militar de Área de São Paulo.

*Com informações do Correio Braziliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.