Dia: 26 de agosto de 2022

Ibama investiga uso de agrotóxicos ilegais em propriedades rurais do RN

Foto: Vinícius Mendonça/Ibama

Nesta semana, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vem realizando uma operação com o objetivo de verificar o uso de agrotóxicos ilegais (contrabandeados, falsificados e produzidos sem registro) no Rio Grande do Norte. A informação foi confirmada por uma fonte extraoficial.

Além disso, estão sendo verificados casos flagrantes relacionados ao uso e consumo irregulares em grandes propriedades rurais sucroalcooleiras no estado, possibilitando, assim, verificar as falhas de procedimento em toda a cadeia de produção e de consumo dos agrotóxicos.

Ainda segundo informações coletadas, até o momento o Ibama vem encontrando como principais irregularidades na operação o armazenamento indevido dos produtos, com suas embalagens vazias e sem condições de proteção ao meio ambiente, às pessoas e aos animais; o armazenamento ou uso de agrotóxicos registrados impróprios (vencidos); e o depósito ou descarte irregular de suas embalagens vazias.

O Novo aguarda a confirmação oficial da operação a divulgação de mais detalhes.

O uso e armazenamento ilegais de agrotóxicos é considerado crime, conforme o Art. 56 da Lei de Crimes Ambientais (Lei Fed. 9605/98) e Lei dos Agrotóxicos (7.802/89), que pode resultar em reclusão de um a quatro anos e multa.

Novo Notícias

Eleições terão 3,4 mil novas urnas eletrônicas em 2022 no RN

Novo modelo de urna eletrônica que será usado nas eleições de 2022 no RN. — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Quase metade das urnas eletrônicas que serão usadas nas Eleições de 2022 no Rio Grande do Norte são de um novo modelo, segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN). São 3,4 mil novas urnas.

As novas urnas do modelo 2020 da Justiça Eleitoral têm um processador 18 vezes mais rápido, uma vida útil de 10 anos e uma bateria com autonomia de 10 horas – ou seja, se faltar energia em uma seção, a urna pode funcionar durante todo o horário de votação.

“Ela ampliou a tecnologia, deu mais segurança, transparência e mais celeridade. Essa urna é bem mais rápida que as urnas anteriores”, afirma Tayronne Dantas, coordenador das Eleições no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte.

Para o eleitor, a mudança é principalmente no design: o teclado fica abaixo da tela, que continua com alto relevo para pessoas com necessidades visuais. Também há intérprete de libras e ajuste no contraste de acordo com a luminosidade da seção eleitoral. Para o mesário, o terminal onde o presidente da mesa digita o número do título, agora tem a tela de touchscreen.

Novo modelo de urna eletrônica — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

“É muito bom para nós, quando vamos fazer a preparação delas, é muito mais rápido. Então o boletim de urna vai sair muito mais rápido que na urna antiga”, diz Marco Maia, secretário de Tecnologia da Informação do TRE-RN

O novo modelo corresponde a quase 50% do total das urnas que o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte usará nas eleições deste ano. Serão 8,9 mil urnas ao todo, sendo 3,4 mil do novo modelo e as demais urnas já utilizadas nas eleições anteriores.

A Justiça Eleitoral vai usar 7,6 mil urnas de seção em todas as zonas do estado, além de urnas de contingência e reservas.

As novas urnas chegaram ao estado no começo do ano e estão sendo distribuídas desde 17 de agosto, até 2 de setembro. Elas seguem vazias, sem os dados dos candidatos e das eleições como um todo. Esses dados serão colocados em outra etapa, de preparação das urnas, que começa no dia 19 de setembro.

“Nós temos 46% de urnas 2020 e elas vão ficar o mais próximo possível de Natal e região metropolitana, haja vista que são urnas novas, a gente precisamos analisar o comportamento delas. As de 2015, que têm um bom comportamento, vão ficar mais para o Alto Oeste do estado, e as demais nas regiões centrais do estado”, afirmou Tayronne Dantas.

G1 RN

Varíola dos macacos tem nova classificação de casos no RN

Foto: Divulgação

Com 18 casos confirmados e 69 suspeitos de monkeypox (varíola dos macacos) no Rio Grande do Norte, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) lançou a primeira versão do Plano de Contingência da doença.

A pasta já havia publicado notas técnicas orientativas e agora acrescenta novas medidas de preparação, notificação e rastreamento em um documento unificado, voltado principalmente para os agentes da saúde pública que atuam nas unidades estaduais e municipais. O plano também atualiza a classificação dos casos para uma definição mais específica.

Antes do plano, a definição sobre a suspeita dos casos era condicionada a um contato com alguém que tivesse viajado para o exterior, mas com a decretação da transmissão comunitária pela Sesap esse entendimento mudou.

Agora, os casos são divididos em confirmado, suspeito, provável e descartado. “Hoje o caso suspeito já é aquele caso que tem sinais e sintomas da doença, que podem ou não ter vínculo epidemiológico e aí ele se torna um caso suspeito para a coleta de amostra”, explica Kelly Lima, coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap.

Tribuna do Norte

Anvisa aprova a liberação da vacina contra a varíola do macaco

Foto: Eric Gaillard

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou na noite de quinta-feira a liberação da vacina contra a varíola do macaco (monkeypox), produzida pela farmacêutica Bavarian Nordic, da Dinamarca, e adquirida pelo Ministério da Saúde.

Conforme decisão da última semana em que a agência autorizou a importação e o registro excepcionais de remédios e imunizantes contra doença, desde que aprovados por órgãos reguladores internacionais, a diretoria colegiada da Anvisa usou dados fornecidos pelo FDA (agência reguladora dos Estados), EMA (agência europeia) e do órgão regulador do Reino Unidos para aprovar a vacina que já é aplicada nesses países.

R7

Mulher morre após sofrer acidente de moto e ser atropelada por caminhão no RN

Reprodução PM

Uma mulher de 42 anos morreu nesta quinta-feira (15) em Baraúna, no Oeste potiguar, após se envolver em um acidente de moto e, em seguida, ser atropelada por um caminhão. Uma segunda pessoa ficou ferida.

A vítima foi identificada como Kelly Cristina Bezerra de Carvalho, de 42 anos. O caso ocorreu na RN-015, na altura da comunidade Campestre, na zona Rural do município.

De acordo com o Departamento de Polícia Rodoviária Estadual (DPRE), a vítima conduzia uma motocicleta e se envolveu, inicialmente, em um acidente com outra moto.

Os dois veículos bateram de frente e a condutora teria sido arremessada. Um caminhão que vinha no mesmo sentido não conseguiu frear e atropelou uma das vítimas do acidente. A PM disse que ainda não há informações sobre o que teria provocado a colisão entre as motocicletas.

A mulher morreu no local. Outra pessoa, um homem, ficou ferido e foi socorrida para o Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró.

G1 RN