Rogério Marinho celebra aprovação do Metrópole Digital em projeto do Governo Bolsonaro; Instituto receberá R$ 13,5 milhões

O Parque Tecnológico Metrópole Digital (Metrópole Parque) foi aprovado na fase final do “Edital de Apoio Financeiro a Parques Tecnológicos em Implantação e em Operação”, realizado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Com isso, receberá um aporte de R$ 13,5 milhões para ampliar sua capacidade de operação. A notícia foi celebrada pelo ex-ministro Rogério Marinho (PL), criador do Metrópole Digital quando ainda era deputado federal.

“É mais uma conquista de um projeto que nasceu sob muita expectativa e vem mostrando que estávamos certos. O Metrópole Digital é hoje uma referência em tecnologia da informação para o país, sendo um dos principais pólos do Nordeste. E o melhor é saber que ainda há muitas conquistas por vir. Da nossa parte, o Metrópole continuará tendo total apoio e parceria para que alcance ainda mais sucesso”, disse Rogério Marinho.

Órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a Finep lançou o edital no final de 2021 e divulgou seu resultado neste mês de agosto. Dentre os parques tecnológicos concorrentes no grupo que envolvia as regiões Nordeste, Norte e Centro Oeste, o Metrópole Parque foi classificado na terceira colocação e com isso vai receber a totalidade dos recursos que solicitou em seu projeto.

O Instituto Metrópole Digital foi criado por Rogério Marinho, que levou a ideia na época ao conhecimento do então reitor da UFRN, Ivonildo Rêgo – atual diretor do IMD. Por meio do mandato parlamentar como deputado federal, Rogério destinou cerca de R$ 50 milhões para viabilizar o projeto. Hoje, já são mais de 2 mil empregos diretos gerados e 86 empresas incubadas no Parque Tecnológico. Apenas em 2021, estes negócios obtiveram um faturamento de R$ 200 milhões.

Infraestrutura e operação

A proposta aprovada no edital prevê o uso do recurso para expansão de duas áreas consideradas fundamentais para alcançar a autonomia financeira do Parque, que são: a infraestrutura, focando na ampliação e estruturação de ambientes; e a operação, com foco no aumento da equipe, na intensificação das ações de marketing e na prospecção de novos associados e parceiros.

Do valor total recebido, R$ 726 mil serão destinados para contribuir na construção da estrutura do Núcleo de Inteligência Artificial e Ciência de Dados e também na reforma do Laboratório de Prototipagem (ProtoLab), que funciona no Núcleo de Pesquisa e Inovação em Tecnologia da Informação (nPITI) do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), que administra o Parque.

A maior parte do montante advindo do edital, R$ 6,8 milhões, serão empregados na contratação de profissionais, e outros R$ 1,6 milhão para a manutenção de serviços. O projeto ainda prevê R$ 750 mil para pagamentos de despesas e R$ 3,5 milhões para compra de materiais e equipamentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.