Busca por foragidos: leva de agentes da Força Nacional deve chegar ao RN nesta quarta-feira

Penitenciária de Mossoró foi a primeira a nível federal a registrar uma fuga de presos em todo o Brasil | Foto: SNPP/Gov

Há oito dias, durante a madrugada de quarta-feira (14), os detentos Deibson Cabral e Rogério Mendonça (criminosos de alta periculosidade que possuem penas superiores a 70 anos de prisão, cada um) conseguiram fugir da Penitenciária Federal em Mossoró. Desde então, uma força-tarefa formada por 500 agentes realiza buscas em localidades próximas à divisa entre o Rio Grande do Norte e o Ceará, onde elementos que apontam para o rastro dos criminosos foram encontrados. Nesta quarta-feira (21), uma parte da equipe formada por 100 agentes da Força Nacional chegam ao território potiguar a fim de reforçar as buscas.

Os agentes, cuja mobilização ao RN foi autorizada na última segunda-feira (19) pelo ministro da Justiça, Ricardo Lewandowsky, já saíram de Brasília durante a terça-feira (20) e se locomovem ao estado em 20 carros e um ônibus. A primeira parte da equipe, que saiu no fim da manhã, deve chegar ainda nesta quarta. inicialmente, a Força Nacional irá permanecer por 30 dias na região.

Em portaria publicada pelo Ministério da Justiça nesta quarta, foi autorizado também o envio de agentes Força Penal Nacional a fim de reforçar a segurança no presídio federal, com apoio na parte externa bem como em treinamentos. O prazo vigente para a permanência dos agentes penais é de 60 dias.

Buscas e rastros

Ao longo das buscas, as forças policiais encontraram vestígios e duas evidências concretas da movimentação dos criminosos nas imediações da Penitenciária Federal de Mossoró. O primeiro elemento que leva a concentração da “caçada” aos homens no raio de 15 quilômetros da presídio foi constatado na quinta-feira (15), quando uma casa foi furtada na localidade de Riacho da Caça e roupas foram levadas do local, bem como um par de tênis. Na sexta-feira (16), agentes federais encontraram camisas, uma rede e pegadas de sapatilhas (semelhantes as usadas por detentos da penitenciária federal) na imediações da Serra Mossoró.

Durante a noite de sexta-feira, Deibson e Rogério invadiram uma casa e fizeram uma família refém por pelo menos quatro horas. Ali, eles comeram, assistiram um jornal e tomaram celulares das vítimas, bem como carregadores. A casa invadida fica a 3 km da penitenciária.

Segundo informações das forças policiais, os agentes captaram o sinal emitido pelos aparelhos roubados, mas a última emissão foi registrada no sábado (17). Com os elementos encontrados, um cerco é realizado na região abrange que a divisa entre Ceará e Rio Grande do Norte. Locais da zona rural da Cidade de Baraúna passam por constantes varreduras e barreiras foram montadas na rodovia RN-015.

Por meio de helicópteros, os policiais fazem buscas no Parque da Furna Feia, a qual possui entradas localizadas a cerca de seis quilômetros de distância do presídio. Porém, até a publicação desta matéria, não há evidência de que os detentos passaram ou estão na região.

Tribuna do Norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.