Durante Fórum Caminhos do RN, Rogério Marinho destaca medidas para combater desigualdades regionais

Divulgação

O ex-ministro do Desenvolvimento Regional e candidato ao Senado Rogério Marinho (PL) participou, na manhã desta quarta-feira (14), do Fórum Caminhos do RN, promovido pela FIERN. No evento, que contou com a presença de diretores da Federação das Indústrias, presidentes de Sindicatos do setor industrial e representantes das demais entidades do setor produtivo do Estado, o candidato apresentou seus posicionamentos em questões essenciais para a indústria potiguar.

Também foi entregue, pelo presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, a Agenda Caminhos do RN 2023-2026, desenvolvida pelo MAIS RN — núcleo de pensamento e planejamento estratégico contínuo da FIERN. O documento traça um diagnóstico de dez pontos essenciais para desenvolvimento industrial do Estado e as ações necessárias para alavancar o avanço da economia potiguar.

Durante sua fala, Marinho enalteceu o trabalho da FIERN de identificar os potenciais econômicos do estado. “É necessário que o trabalho que FIERN faz, de identificar nossos potenciais econômicos, esteja nas mãos de alguém que tenha a capacidade e a credibilidade de buscar os agentes econômicos”, afirmou. “Esse será o meu papel, como alguém que conhece a indústria brasileira, quem empreende e tem a respeitabilidade de quem produz no país”, completou.

O candidato frisou a necessidade de um pacto a favor do país e declarou que ajudar o Nordeste a crescer é, também, ajudar o Brasil. “O Nordeste não é um problema, mas uma solução. Isso não é jargão nem palavra de ordem, é um fato. Daqui saíram as pessoas que ajudaram a edificar o país em outras regiões. Por isso, está na hora do Brasil se voltar para sua origem e reequilibrar a nação atacando a desigualdade entre as regiões”, declarou.

Nesse sentido, abordou a questão tributária como tema essencial para o ataque às desigualdades regionais. “É preciso que, por um período determinado, o Nordeste tenha uma redução tributária expressiva em relação às outras regiões do país para que tenhamos capacidades e condições de concorrer. Não precisa ser uma política permanente, mas uma política indutora para que nos igualemos às outras regiões e então haja um processo de desmame gradativo quando essa igualdade for atingida”, explicou Marinho.

Ele também ressaltou que o Rio Grande do Norte tem especificidades que precisam ser levadas em consideração. “Somos protagonistas na geração de energia renováveis, temos potencial hídrico para alavancar não apenas a produção agrícola, mas também a atividade industrial que forma a cadeia produtiva da agricultura. Outra questão fundamental é a do porto, que é a principal ferramenta para escoar a produção do estado para o Brasil e para o mundo”, comentou o candidato.

“Para que o Nordeste seja diferenciado e em uma ou duas décadas esteja ‘ombreado’ com outras regiões do país, precisa de um projeto e um plano maciço de investimento em infraestrutura logística, desde portos, aeroportos, rodovias, ferrovias e silos”, apontou Marinho, que também destacou o papel importante da iniciativa privada de garantir a construção e administração dessas obras.

O candidato ainda falou sobre a necessidade de propor uma política educacional diferenciada. “É necessário mudarmos a formação dos professores alfabetizadores. Além disso, temos que redefinir nosso Ensino Médio e preparar o aluno para o mercado de trabalho dentro das especificidades e do potencial econômico de cada região. Já no que toca à pesquisa e inovação nas universidades, precisamos discutir, também, a prioridade do país e de cada região. É importante que haja aplicação dos recursos no que há praticidade, funcionalidade e efetivamente atende as necessidades da sociedade”, explicou Rogério Marinho.

O ex-ministro Rogério Marinho foi o candidato que abriu o Fórum Caminhos do Desenvolvimento do RN. O ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT) e Geraldo Pinho (Podemos) haviam confirmado presença até ontem, e somente nesta quarta (14), com o evento já em curso, comunicaram a ausência em função de problemas de saúde. O deputado Rafael Motta (PSB) e Freitas Júnior (PSOL) tinham avisado da impossibilidade de participar e alegaram impossibilidade de agenda. Foram convidados para a participação no Fórum Caminhos do RN, os cinco candidatos ao Senado Federal que pertencem a partidos com representação no Congresso Nacional. Foi usado o mesmo critério para a edição do Caminhos do RN com os candidatos ao governo do Estado, realizado no dia 26 de agosto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.